jo

O Batismo Bíblico

O dr. David Smith, professor do Seminário Teológico Evangélico, na Irlanda, em sua obra The Life and Letter of St. Paul, diz o seguinte: O símbolo do peixe, como sinal da fé cristã, foi devido a imersão dos crentes primitivos em rio. O Mosteiro dos Franciscanos, na Bahia, Brasil, em 1915, fez uma tradução anotada do Novo Testamento e sobre Romanos 6:4, foi feito o seguinte comentário: Alude aqui ao batismo como se administrava naqueles tempos, por imersão. Assim como Cristo foi sepultado para ressuscitar, assim no batismo somos nós sepultados misticamente para renascer a uma vida nova. Bernardo Bartman, em sua obra Teologia Dogmática, volume 3, página 78, declara: O batismo no seu significado natural, é imergir na água. A página 87 diz:  O modo mais antigo de batizar é imergir o batizando na água. O batismo do Novo Testamento era assim: 1°) O batizando e o batizador entram ambos na água, desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco e o batizou, Atos 8:38;2°) Pelo ato simbólico, o batizando é figuramente sepultado,“de sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte, Romanos 6:4; 3°) Pelo mesmo ato é simbolicamente ressuscitado sepultados com ele no batismo, nele também ressuscitastes pela fé no poder de Deus, Colossenses 2:12; 4°) Depois do batismo, saem da água o ministro e o batizado sendo Jesus batizado, saiu logo da água, Mateus 3:16; – E quando saíram da água, Atos 8:39; 5°) Em tudo isto estamos associados com Cristo e fazemos o que ele fez e nos mandou fazer ou não sabeis que todos quantos foram batizados em Jesus Cristo, fomos batizados na sua morte?, Romanos 6:3; veio Jesus da Galiléia ter com João, junto do Jordão, para ser batizado por ele, Mateus 3:13.“Ide… ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, Mateus 28:19. Que outra forma de batismo nos dá a idéia de sepultura (enterrar, cobrir) e de ressuscitar (levantar, ressurgir) a não ser a imersão?

 

O batismo no Novo Testamento é em água corrente. Nos lugares de batismo na Bíblia, havia água corrente. Muitos são os rios da Palestina, sendo os mais conhecidos o Jordão, onde o Senhor Jesus foi batizado; o Jaboc e o Esdraelon. Em Jerusalém havia várias fontes e tanques como a Fonte da Virgem, o Tanque de Siloé, o Tanque de Salomão, a Fonte do Dragão, o Tanque de Betesda, João 9:11; Lucas 13:4; Neemias 2:14; 2:13; a Bíblia entretanto não registra qualquer batismo em nenhum deles, pelo contrário,“ia ter com João, Jerusalém e toda a Judéia, e toda a província adjacente ao Jordão e eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados, Mateus 3:5,6. João também batizava em Enom, junto a Salim, porque havia ali muitas águas, João 3:23. Jamais em Jerusalém, apesar de ter ali muitos tanques e fontes. Não há no Novo Testamento nenhum caso de batismo registrado em tanque, mar, açude, batistério, piscina, represa ou poço. É em água corrente que se batiza biblicamente. Em Damasco onde Paulo foi batizado, havia dois rios o Abana e o Farpar, II Reis 5:12. Em Filipos onde Lídia e o Carcereiro foram batizados havia rio, Atos 16:13-15,32-33. Não se deve rebatizar ninguém biblicamente batizado. Quem foi molhado em tanque não foi batizado e quem foi aspergido, muito menos. Só as genuínas ovelhas do Senhor Jesus Cristo, biblicamente batizadas em água corrente, por pastores neotestamentariamente consagrados, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo é que estão no prumo e no nível da Palavra de Deus, neste particular. Quem não satisfez a tais exigências da Palavra, deverá se restaurar neste sentido. A restauração é de tudo e inclui o batismo bíblico.

 

Pr. Elmir Guimarães Maia

Envie para um amigo





Envie para um amigo