jo

Interpretando Atos 3:21 nos Tempos da Restauração

Pedro anunciou a “Restauração de tudo” e a segunda vinda do Senhor Jesus Cristo, dizendo:

“O qual convém que o Céu contenha até aos Tempos da Restauração de todas as coisas, de que Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio”.

Os “Tempos da Restauração de todas as coisas” chegaram e Deus fez Intervenção entre o seu povo, estabelecendo o processo restaurador na terra neste Tempo do Fim. A Escritura predisse a “Restauração de todas as coisas” para o Tempo do Fim.

O presente século marcou o início do Tempo do Fim. O Espírito Santo falou em profecia na cidade de Chicago, Illinois, em 22 de Abril de 1908, usando uma pessoa consagrada, na “Congregação Cristã de Chicago”. Citamos aqui um trecho da profecia do Espírito. Assim falou o Senhor:

Quando a Minha Igreja se desviou foi então que Eu fechei a porta à Minha glória. Oh! obedecei, então, à Minha voz e Eu vos farei ver a Minha glória. Não a tomeis com leviandade porque O TEMPO É BREVE. Não sejais indiferentes porque eis que Eu LOGO VENHO”.

“Os reinos caem. As repúblicas oscilam. As monarquias vacilam. Eis A MUDANÇA DO TEMPO”.

Logo a seguir a esta profecia do Espírito Santo veio a Primeira Guerra Mundial, a queda do Império Russo com o advento do Bolchevismo materialista generalizado entre muitos povos, a multiplicação da Ciência, a Segunda Guerra Mundial e a apostasia geral na Igreja.

Deus marcou a História com os “Tempos da Restauração”. De acordo com a Escritura SINAIS notórios se manifestariam como evidência da Restauração de todas as coisas na terra. Deus começou dando um sinal de repercussão universal: a restauração do Estado de Israel em 14 de Maio de 1948.

O texto de Atos 3:21 estava esquecido neste século. Deus levantou a Obra da Restauração. Há um alvoroço nos arraiais. Muitos não entendem o texto já referido – não receberam ainda o sentido de sua real e bíblica Interpretação. Vejamos o significado dessa profecia bíblica que chama a si o conjunto de outras profecias bíblicas no mesmo sentido, pois diz que “Deus falou pela boca de todos os Seus santos Profetas, desde o princípio”. Vemos que o assunto é vastíssimo e a contextura bíblica sobre o mesmo, forma o grande e glorioso Edifício da Doutrina da Restauração de Tudo.

O texto fala-nos dos “tempos da Restauração de todas as coisas”. Restauração, não apenas do homem, ou do Israel Nacional, ou da Igreja, mas “de todas as coisas”. O homem é o alvo principal por ser “a imagem e glória de Deus”, mas a Restauração é de tudo, dentro do processo restaurador, de acordo com a Economia divina.

Os Apóstolos sabiam que a Promessa bíblica de Restauração do Estado (ou Reino) de Israel haveria de se cumprir. Mas não sabiam o tempo para o devido cumprimento da Promessa. Por isso perguntaram ao Senhor: “Restaurarás Tu neste tempo o reino a Israel?” Atos 1:6,7.

Vemos, pela pergunta dos discípulos, que a Escritura predisse a restauração do Estado Hebreu. Mas quando os discípulos fizeram a pergunta ao Senhor Jesus não era o tempo da Restauração do Reino de Israel. Notemos que eles falaram em: “tempo”, e não “tempos”. Pedro, então, conheceu estes tempos e após o Pentecostes, cheio do Espírito Santo, profetizou sobre eles. Com a resposta imediata de Cristo aos discípulos, falando em “tempos” estabelecidos (como também esta em Atos 3:21) entendemos pois, que o uso do plural é para significar as diversas fases da Restauração de tudo, e assim ternos na Revelação bíblica ostempos de restaurar o Estado de Israel, e a Igreja, antes da vinda de Cristo, bem como o universo, no Milênio. Notamos que a Restauração do Estado de Israel começou um pouco antes de ser iniciada a Restauração da Igreja. Claro que os “TEMPOS da Restauração de todas as coisas” se subdividem em tempos de restaurar Israel, tempos de restaurar a Igreja e tempos de restaurar o universo na sua plenitude. Vemos que, tendo Deus começado a Restauração de Israel também pouco tempo depois a Restauração da Igreja. E assim, temos:

Primeiro, a Restauração do Estado de Israel, que se amplia na Terra Prometida.

Segundo, a Restauração da Igreja, antes da Vinda de Cristo.

Terceiro, a Restauração do universo, no Milênio.

“Tempos”, no texto, significam fases da Obra de Deus no Tempo do Fim para realizar a “Restauração” predita. A Restauração é “de todas as coisas”. Logo, se inclui nela tudo quanto está previsto na Escritura para ser restaurado nestes temposmencionados pelos Profetas. Assim, a respeito do Senhor Jesus foi anunciado: “convêm que o Céu contenha até aos tempos da Restauração de todas as coisas”. O Senhor Jesus não viria antes de chegar os “tempos” acima referidos. Agora Deus manifestou à igreja que estes tempos preditos na Escritura para restauração de tudo são chegados. Está iminente pois, a Vinda do Senhor. O Espírito Santo revelou ao Ministério constituído na Obra a interpretação do texto e mostrou assim que o Senhor Jesus virá no decurso do cumprimento destes tempos que foram preditos. Temos pois, subdividindo a soma destes “tempos da Restauração de todas as coisas”:

1. Os “tempos” de restaurar o Estado de Israel na sua plenitude;

2. Os “tempos” de restaurar a Igreja na sua plenitude, antes da Vinda de Cristo;

3. Os “tempos” de restaurar o universo na sua plenitude no Milênio bíblico.

Assim: tempos de restaurar Israel, MAIS tempos de restaurar a Igreja, MAIS tempos de restaurar o universo somam “TEMPOS da Restauração de todas as coisas”.

Deus preparava o povo de Israel com o movimento sionista em todo o mundo para outorgar-lhe o Estado autônomo, em cumprimento da Escritura.

Quantos são os tempos (ou fases) para restaurar o Estado de lsrael NA SUA PLENITUDE ? Só Deus sabe. Mas, dentro do processo restaurador já notificado entre os povos pela intervenção de Deus podemos observar: (1) O tempo da migração dos judeus para a Palestina, em que se deu o movimento sionista preparatório da constituição do novo Estado Judeu, segundo a predição bíblica .(2) O tempo em que se processou a legislação constitutiva do Estado de Israel até à promulgação de sua autonomia pela ONU. (3) O tempo (já em curso) do reverdecimento do deserto árido de Israel, conforme promessa do Senhor. (4) O tempo da RETOMADA de Jerusalém (com desfecho histórico em 7 de Junho de 1967) na reconquista de toda a terra prometida a Abraão e à sua semente em possessão perpétua. A Restauração do Estado Hebreu continua para alcançar a plenitude. Aguardemos a restauração de outras coisas em Israel.

Quantos são os tempos (ou fases) para restaurar a Igreja? Só Deus sabe. A Restauração da Igreja foi levantada no Brasil em 1962 quando o Senhor em profecia declarou à Igreja: – É RESTAURAÇÃO”. O Brasil e a Nação escolhida por Deus para o berço da Restauração DA IGREJA. Em 6 de janeiro de 1963 Deus falou em profecia, dizendo: “A Minha Obra se estende sobre a terra. É A RESTAURAÇÃO DO MEU POVO”. Em 11 de Janeiro de 1963  num Retiro Espiritual em Campina São Paulo Deus confirmava a Obra, dizendo entre os Pastores ali reunidos: “A MINHA IGREJA SERÁ RESTAURADA EM TODA A SUA GLÓRIA”. E em princípios de março de 1963, o Senhor falou ainda, dizendo: “Eis que É COMPLETA A RESTAURAÇÃO”.

Observando o que Deus tem realizado e vai realizar podemos encontrar: (1) O tempo dos primeiros sinais evidentes da Restauração da Igreja. (2) O tempo de preparação do Ministério levantado para proclamar a Obra da Restauração na terra. (3) Otempo de preparação da Igreja em toda a terra para a Queda das Denominações evangélicas (que aconteceu em 31 de Março de 1963) a fim de restabelecer na Igreja geral militante a Unidade doutrinária em “uma só fé” segundo a Escritura. (4) O tempo de restaurar AS DOUTRINAS bíblicas na Igreja. (5) O tempo (presente) de generalizar a Restauração da Igreja sobre toda a terra, para cumprimento da Escritura. (6) O tempo do Grande Testemunho ou Testemunho Final entre as nações (mil duzentos e sessenta dias) a primeira parte da última semana profética de Daniel. (7) O tempo do “pequeno socorro” para a Igreja (mil duzentos e sessenta dias) quando a Igreja será alimentada por Deus “fora da vista da serpente”. É mistério. “Aqui há sentido que tem sabedoria quem lê, entenda”.

Em sentido menos lato “todas as coisas” NA IGREJA serão restauradas antes da segunda vinda de Cristo para cumprimento da Escritura e preparação da Igreja para o arrebatamento.

Em sentido mais lato “todas as coisas” NO UNIVERSO serão restauradas no Milênio visto que no fim deste, esta terra e o céu que contemplamos serão desfeitos e serão criados novo céu e nova terra, haverá o Juízo Final e a consumação de tudo e assim, Cristo, que virá aos Seus e para julgar o mundo, no decurso dos “tempos da Restauração”, terá restaurado “todas as coisas” o universo.

Vemos assim que, o processo restaurador já começou. Depois do grande sinal universal da restauração do Estado de Israel que marcou na História os “tempos da Restauração de todas as coisas” podemos mencionar coisas que já foram restauradas, coisas que estão sendo restauradas e coisas que vão ser restauradas.

Deus já restaurou: a autonomia do Estado de Israel; as DOUTRINAS bíblicas que foram deturpadas pela apostasia no curso dos séculos pós – apostólicos levantando agora Igrejas do Novo Testamento; Jerusalém retomada na sua integridade, em 7 de Junho de 1967 completando-se assim “os tempos dos gentios”. (Lucas 21:24). Convém notar que o que fica dito acima é apenas uma SÍNTESE do que Deus está fazendo agora. Só a restauração das DOUTRINAS durou cerca de cinco anos.

Deus está restaurando: a Igreja NA SUA PLENITUDE já representada pela parcela do Povo de Deus já levantada na Obra da Restauração no prumo e no nível da Escritura Sagrada (pois Deus levantou no meio do Seu Povo uma parte do Seu povo para restaurar todo o Seu Povo) restaurando assim o Cristianismo primitivo; a unificação do povo de Israel na Terra da Promissão inclusive com o movimento migratório predito na Escritura; a integridade territorial do Estado de Israel conforme promessa de Deus a Abraão.

Muita coisa Deus vai restaurar até à consumação dos séculos. Entre elas podemos citar: os sinais que existiram na Igreja primitiva, glorificando o Seu santo nome e mostrando o Seu grande poder; Igrejas bíblicas do Novo Testamento em Jerusalém, com o estabelecimento do Cristianismo bíblico na Cidade do Messias; enfim na consumação de tudo Deus completará, no fim do Milênio bíblico, a “Restauração de todas as coisas” o que em síntese podemos dizer: a Restauração do universo.

Diante do exposto com base bíblica, vemos que a Restauração de todas as coisas está levantada na terra. Consumada a Restauração de Israel e da Igreja – cessado o Tempo da Graça, “passado o segundo ai” o Senhor Jesus virá NO DECURSO dos “TEMPOS da Restauração de tudo” assim compreendidos: cumpridos os “tempos” premilenares de restaurar todas as coisas concernentes a Israel e à Igreja o Senhor Jesus virá na Sua glória ao remate destes tempos (premilenares) dando inicio aos “tempos” de restaurar o universo, no Milênio bíblico. Isto significa que os “tempos” de restaurar Israel e a Igreja terminam no instante solenissimo e histórico em que o Senhor Jesus aparecer sobre as nuvens para livrar o Seu Povo e julgar as nações e os tempos” de restaurar o universo terão inicio nesse momento mesmo da Vinda do Senhor a respeito de Quem foi dito: “convêm que o Céu contenha até aos tempos da Restauração de todas as coisas”. Ele virá portanto à face destes tempospreditos inaugurando o Milênio bíblico estabelecendo o Seu Trono e o Seu Reino milenial no Monte de Sião GLORIFICADO!

Agora, cumpre-nos obedecer a Deus com júbilo santo guardando o que temos para que ninguém tome a nossa coroa preparando-nos para o “grande e terrível Dia do Senhor”, que  está às portas.

A bandeira alvíssima do Concerto de Deus salpicada com o sangue do Cordeiro tremula sobre os arraiais do Senhor neste Tempo do Fim e nela Deus escreveu esta legenda: SANTIDADE e JUSTIÇA!

Amém.

Pr. Magno Guanais Simões

Texto extraído da revista Estudando a Bíblia em classe ano de 1968.

Envie para um amigo





Envie para um amigo